• Centro Cultural Maçônico






  • A Cultura no Supremo Conselho do Brasil estimula a expectativa dos Irmãos na descoberta dos fatos históricos que demonstram a influência da Maçonaria na história do Brasil e da Filosofia Maçônica, evidenciando um patrimônio simbólico, mas mantendo seus mistérios e valor de culto. Fato que consolida e fortalece o grupo social maçônico, em virtude de seus ensinamentos serem transmitidos por intermédio de alegorias simbólicas.

    Assim, o Centro Cultural Maçônico trabalha com a memória coletiva da sociedade Maçônica, que se explicita por meio da manutenção de seus signos culturais que formam a identidade de seu grupo social, visto que são a comprovação do passado manifestado por intermédio do patrimônio tangível (materialidade) e intangível (memória social), garantindo suas referências culturais (códigos de interpretação).

    Desta maneira, o acervo exposto torna-se um veículo de continuidade das mentalidades coletivas, capaz de suscitar no visitante o respeito às tradições e a História da Maçonaria, perpetuando suas tradições.

    Concomitantemente ao crescimento do complexo arquitetônico do Supremo Conselho, há uma pinacoteca de grande diversidade estilística e temática, de artistas como: Fernando Gomes, Rejane Sobreira, Tito Lívio Ferreira, Leonardo Meireles e outros.

    Imbuídos em democratizar e disseminar a informação ao público, possuímos também uma Sala de Leitura denominada Dr. José Ramos Penedo. Todavia, há restrições de acesso ao acervo que possa violar a privacidade da Maçonaria.

    Atualmente, a nova ação cultural tende a desvincular a ideia de padrões e conceitos inertes. Neste sentido, há espaço para Exposições Temporárias, Palestras, Seminários, Peças Teatrais e Apresentações Musicais.

    Consequentemente, desde 2009 o Centro Cultural Maçônico participa anualmente da Semana Nacional de Museus, evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM, inserido no Projeto Turismo Cultural no Bairro Imperial de São Cristóvão, evento que possibilita aos visitantes uma viagem pela história, ciência e cultura nas principais Instituições Culturais do entorno. O sucesso é eminente, visto que o Centro Cultural Maçônico atinge uma visitação de aproximadamente três mil pessoas em apenas dois dias.

    Assim, a ampla divulgação do Centro Cultural Maçônico e suas diversas atividades ajudam a consolidar, nacional e internacionalmente, a importância de nossa Instituição.

    Obs: O acesso ás Câmaras Filosóficas somente é permitido aos Maçons e seus familiares.

    Horário de Funcionamento: segunda à sexta das 9h às 16h30 - Entrada franca.