Administração

Supremo Conselho do Brasil do Grau 33º para o Rito Escocês Antigo e Aceito

Francisco Gomes Brandão (Francisco Gê Acaiaba de Montezuma - Visconde de Jequitinhonha) fundou em 12 de novembro de 1832 o Supremo Conselho no Brasil. Sua doutrina tem por base as Grandes Constituições Gerais de 1762 e 1786, fundamentada na hierarquia de 33 Graus do Rito Escocês Antigo e Aceito, sob o lema "DEUS MEUMQUE JUS".

Os três primeiros Graus chamados de Graus Simbólicos ou Maçonaria Simbólica (Aprendiz, Companheiro e Mestre), representam as três etapas da evolução do pensamento humano: intuição, análise e síntese.

Os Graus Filosóficos, do 4º ao 33º, são realizados no Supremo Conselho nos Corpos Filosóficos:

Os graus 4º ao 14º são realizados nas Augustas e Benfeitoras Lojas de Perfeição e incentivam a busca da integridade moral.

Os graus 15º ao 18º são realizados nos Sublimes e Eméritos Capítulos Rosa-Cruz e conduzem ao conhecimento cósmico, à identificação com o Universo através da solidariedade e do amor.

Os graus 19º ao 30º são realizados nos Ilustres Conselhos Filosóficos de Kadosch e harmonizam os ensinamentos precedentes mostram o caminho da realização do Homem em consonância com a Universo.

Os graus administrativos 31º e 32º são realizados nos Poderosos Consistórios de Príncipes do Real Segredo e zelam para que as Leis Maçônicas não sejam transgredidas.

O grau 33º é realizado no Supremo Conselho e compreende que a razão e a verdade estão em harmonia com a sabedoria do Eterno e as aspirações da alma, tendo como auxílio a consciência e a inteligência que o leva ao axioma do maçom: ”Justo e Perfeito”.

O Supremo Conselho do Brasil:

- É administrado por um grupo de membros denominado Santo Império, que elege um presidente com o título de Soberano Grande Comendador, cargo atualmente exercido pelo Dr. Enyr de Jesus da Costa e Silva, grande colaborador da difusão cultural.

- Tem por objetivo desenvolver entre os maçons, através da prática de um culto ecumênico, os seguintes princípios:

• Um Princípio Criador, o Grande Arquiteto do Universo;
• A investigação constante da verdade;
• O culto da fraternidade;
• A obediência à lei e a prática da justiça;
• O combate à intolerância;
• O trabalho em prol da Ordem, da Pátria e da Humanidade.